Idosa vai se formar em educação física aos 86 anos

                      Foto: Reginaldo dos Santos/ EPTV
                              Foto: Reginaldo dos Santos/ EPTV

Nunca é tarde pra realizar um sonho. Mesmo que o desejo seja se formar em educação física aos 86 anos.
Dona Nilceia Barros está no último ano da faculdade.
A ideia começou quando ela tinha 83 e prestou o vestibular: a vovó passou em primeiro lugar.
E disposição não falta a ela. Nilceia faz natação e vôlei adaptado… é uma verdadeira atleta.
Sem dinheiro
Ela cursa uma faculdade em Porto Ferreira, interior paulista e sempre desejou trabalhar na área.
“Na época em que eu podia fazer educação física, na minha juventude, eu não consegui porque a minha mãe não tinha condições financeiras”, contou.
Hoje os colegas de turma contam que ela mais ensina do que aprende.
Segundo eles, Dona Nilceia corrige o português nos trabalhos em grupo.
“Fazer esporte, jogar vôlei, fazer natação, estudar, ser mãe, ter filhos, quero chegar nessa idade desse jeito”, afirmou Gabriela Mansales, colega de classe da idosa.
                     Foto: Reginaldo dos Santos/ EPTV
                              Foto: Reginaldo dos Santos/ EPTV
Persistência
Nilceia acabou cursando magistério e adiou a educação física, mesmo sendo apaixonada por esportes.
“Eu lecionei 26 anos e, na época, tinha no currículo educação física no horário, mas ninguém dava porque não era obrigatório. Não era obrigatório, mas eu ensinava” relatou ela, que teve ajuda dos sobrinhos que trabalhavam na área e emprestavam apostilas.
Mas Nilceia se realizou vendo netos e filhos se tornarem professores da disciplina.
“A inspiração da família é ela”, contou a filha Carla Barroso.
“Minha mãe, meu irmão, tios, primos, vai longe, o amor pelo esporte não é só hobby, a gente gosta mesmo, não fica sem”, disse Lia Fernanda Barroso, neta de Nilcea e educadora física.
Disposição
A universitária começou vôlei aos 14 anos e é medalhista em natação, esporte que começou aos 60 anos.
Ela conquistou ouro nos Jogos Regionais dos Idosos.
Ela não dispensa as aulas práticas e garante que não vai parar.
“Eu quero continuar dentro do esporte, acho que como professora de Educação Física eu tenho uma chance”, garantiu.
Com informações do G1
Por: Só Notícia Boa

Comentários