Cesta básica fica mais cara em Natal, mas segue mais barata entre capitais

Maiores quedas foram registradas no tomate, banana e óleo.
Farinha e manteiga foram produtos que mais aumentaram de preço.



No Pará, a alta no preço da farinha de mandioca supera os 60% de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Dieese nesta sexta-feira (19). (Foto: Tarso Sarraf/O Liberal)



Natal segue com a cesta básica mais barata entre as capitais brasileiras. De acordo com o levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) divulgado nesta sexta-feira (9), o valor da cesta subiu para R$ 365,46, mas ainda assim ficou abaixo do preço médio de R$ 370,70 registrado em Aracaju. O estudo leva em consideração preços analisados durante o mês de agosto.
De acordo com o DIEESE, o  valor da cesta básica aumentou  em  18  das  27  capitais  do
país. Na capital potiguar foi registrado um aumento de 0,78% na média dos preços em comparação ao mês anterior. Os maiores aumentos foram registrados em Florianópolis  (3,16%), Maceió (3,11%) e Macapá (2,91%). As maiores diminuições aconteceram em Goiânia (- 3,15%) e Aracaju (-2,26%).
Em Natal, o farinha sofreu o maior aumento dentre os produtos. O produto aumentou o valor de venda em 8,42%. O manteiga (5,42%) e o leite (5,14%) também contribuíram para o aumento.
O valor só não subiu mais porque o tomate (-8,25%) e a banana (-3,90%) sofreram quedas no preço e mantiveram o preço médio mais baixo do que em outras capitais.

Do G1 RN

Comentários